HojePR

LOGO-HEADER-slogan-675-X-65


Sem Categoria

“Vou consertar o Paraná”, avisa Requião

 “Vou consertar o Paraná”, avisa Requião

O HojePR iniciou nessa semana uma série de entrevistas com pré-candidatos ao governo estadual. Em um sorteio na redação, o ex-governador Roberto Requião foi escolhido para começar a série. Na sequência, serão entrevistados o pré-candidato do PSDB, César Silvestre Filho, e o governador Ratinho Junior (PSD), candidato a reeleição. As fotos são do jornalista Bruno Covello.

Requião disse o que pretende fazer caso seja eleito. Segundo ele, não haverá a licitação de pedágio. Será criado o pedágio público e barato. Haverá investimento para programa de segurança alimentar, modernização no campo, abertura de concurso público e estímulo ao funcionalismo. Se eleito, quer voltar com o congelamento de tarifas de água e luz. “Vou fazer mais do mesmo, vou fazer o que deu certo”, disse ele várias vezes ao longo da entrevista.

Pedágio

“Vou suspender a licitação do pedágio e implantar o pedágio público, bom e de R$ 2,00”, disse Requião, no início da entrevista. Sua proposta é articular, junto ao governo federal, pela retirada da concorrência de concessão de rodovias. “Nesse ano, essa licitação não vai sair”, aposta.

Com isto, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) assumiria a concessão implantando um pedágio público. O governo estadual cobraria uma tarifa e ficaria encarregado da manutenção das estradas, serviços de apoio (guincho e ambulância) e obras de melhorias.  “Quem construiu as rodovias do Paraná foi o DER, não foram as concessionárias de rodovias”, arrematou, garantindo que o DER terá dinheiro para executar as obras, sem apontar a fonte desses recursos.

“Todo mundo quer internet de graça, como a que coloquei nas escolas do Paraná. E demos a nossa empresa para iniciativa privada. Um absurdo”

_________________________________________________________________________

Privatizações

Requião é contra a privatização da Compagas. “É um monopólio estratégico para o Estado e não deve cair na mão da iniciativa privada, ficando mais caro”, disse. Requião diz que a Compagas precisa ser ajustada para reduzir o custo do gás, o quarto mais caro do Brasil. Ele afirmou que, no caso da empresa ser vendida em 2022, ganhando a eleição, revoga a licitação e retoma a empresa ao Estado.

O mesmo pretende fazer com a Copel Telecom, empresa classificada por ele como estratégica. “Todo mundo quer internet de graça, como a que coloquei nas escolas do Paraná. E demos a nossa empresa para iniciativa privada. Um absurdo”, disse.

Agricultura

“A nossa população passando fome e não fomentamos o plantio do que vai para as nossas mesas. Sem desmerecer o agronegócio, é preciso também estimular a segurança alimentar nas cidades”, disse Requião.

O ex-governador disse que continuará apoiando e fomentando os grandes, mas quer favorecer os pequenos a produzirem, com apoio técnico e fomento. Também quer retomar o programa de tratores solidários, voltados aos pequenos produtores e agricultura familiar. “Nesse momento, precisamos que eles produzam, precisamos de comida na mesa”.

Requião quer resgatar programas de formação dos profissionais da agricultura. A ideia é que o servidor estadual mantenha-se capacitado e atualizado com as mudanças no campo. Além disso, quer modernizar os programas hoje oferecidos pela Emater.

Apoio aos pequenos negócios

“Os micros, pequenos e médios empreendedores geram 80% da mão de obra e não há apoio para eles. Vou retirar a cobrança de impostos dos pequenos para ajudar a movimentar a economia”, disse.

Além da isenção de impostos, quer criar linhas de fomentos, mas não detalhou de onde virão os recursos. Outra medida é rever R$ 17 bilhões de isenção que o governo estadual oferece para grandes empresas. “Não é justo que quem é pequeno pague impostos caros e os grandes fiquem sem pagar. E que esses acordos de isenções sejam mantidos em sigilo”, afirmou.

Tarifas de água e luz

“Em oito anos de governo, mantive as tarifas de água e luz congeladas. Pagávamos as menores tarifas do Brasil. Vou fazer isto de novo”, disse ele. Requião afirmou que é possível congelar as tarifas, mesmo com a Copel sendo de capital aberto e a Sanepar uma empresa com acionistas. “A Copel é dos paranaenses. A Sanepar é dos paranaenses. O que vale é o interesse da população”.

Funcionalismo

Requião disse que vai fazer concurso para suprir a falta de quadro existente. Sabe que há furos na Educação, Polícia Militar, Saúde e diversos outros departamentos estaduais. Na Educação, quer voltar com a formação continuada para os profissionais se aperfeiçoarem. E defende o mesmo para outras categorias. Quer retomar políticas que valorizam a promoção do funcionalismo.

“Em oito anos de governo, mantive as tarifas de água e luz congeladas. Pagávamos as menores tarifas do Brasil. Vou fazer isto de novo”
_________________________________________________________________________

Educação

Pretende resgatar “o brilho da Educação”. “Vou colocar o Paraná no primeiro lugar do IDEB, como fiz em meu governo”, garantiu. Requião disse que suspenderá a educação à distância para o ensino técnico. “Não dá para ser marceneiro assistindo vídeo online”, disse. No restante, afirma que a formação continuada será ofertada para todos os servidores da Educação. “A cantineira também poderá ter um curso só para ela”.  Não detalhou nada sobre novas propostas pedagógicas.

Saúde

Para Saúde, defende o fortalecimento da regionalização da saúde e a modernização da estrutura de hospitais no Estado, bem como aquisição de novas ambulâncias. Acredita que precisa melhorar a operação das regionais, para melhorar o atendimento da população e enfrentar situações adversas, como o caso da pandemia do Covid-19.

Segurança

“Há falta de pessoal, mas o principal, falta inteligência e estratégia”, disse sobre a segurança púbica. Requião quer modernizar as estruturas das Polícias Militar e Civil. Defende o concurso, mas antes quer melhor visão estratégica, para segurança nas cidades e no campo. Disse que investirá mais na segurança pública para que tenhamos corporações fortes.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

×