HojePR

HOJEPR LOGO
Siga no WhatsApp
Pesquisar

24/07/2024

SAÚDE

Junho Laranja: conscientização e esperança na luta contra a leucemia

O mês de junho é também conhecido como junho laranja, dentro dos laços da oncologia, dedicado à conscientização sobre a leucemia, um tipo de câncer que afeta a medula óssea, essencialmente a “fábrica do sangue” do nosso corpo. Essa campanha tem o intuito de alertar a população sobre os sinais precoces da doença e a importância do diagnóstico precoce para aumentar as chances de cura.

Dr. Eduardo Cilião Munhoz, hematologista do IOP – Instituto de Oncologia do Paraná, explica que a leucemia é um câncer que acomete a medula óssea, onde são produzidas as células-tronco responsáveis pela criação de todas as células do sangue: células vermelhas, que transportam oxigênio; células brancas, que defendem o organismo; e megacariócitos, que formam as plaquetas, essenciais para a coagulação. Existem dois principais tipos de leucemia: aguda e crônica.

Leucemia aguda: desenvolve-se rapidamente e requer tratamento intensivo imediato. Pode ser linfoide, mais comum na infância e com alta taxa de cura graças aos avanços na quimioterapia, ou mieloide, que afeta qualquer faixa etária e é mais difícil de tratar em idosos.

Leucemia crônica:

Evolui lentamente e pode ser descoberta por acaso em exames de rotina. Dividida em linfoide e mieloide, a crônica foi revolucionada pelos inibidores de tirosina quinase, permitindo que muitos pacientes vivam normalmente apenas com medicação diária.

Os sintomas da leucemia variam conforme o tipo de célula afetada e incluem:
anemia e fraqueza; perda de peso; inchaço nos gânglios linfáticos, fígado e baço;
sangramentos e infecções frequentes.

Vale dizer ainda que o diagnóstico geralmente é feito por exame de medula óssea, onde uma amostra é retirada do osso do quadril para análise, permitindo determinar com precisão o tipo e estágio da leucemia.

O Dr. Eduardo Cilião, ressalta a importância do diagnóstico precoce: “Quanto mais cedo a leucemia é identificada, maior a chance de cura. A conscientização sobre os sintomas e a realização de exames são fundamentais.”

Embora a maioria dos casos de leucemia seja esporádica, alguns fatores de risco incluem:
exposição à radiação ionizante (raio-x, tomografia); exposição a agrotóxicos; histórico familiar de câncer, especialmente em jovens, que pode indicar uma síndrome genética.

O que talvez poucos saibam é que o tratamento padrão para leucemia é a quimioterapia, mas em casos em que esta falha, o transplante de medula óssea pode ser necessário. Este procedimento, especialmente o transplante alogênico (com um doador), é mais agressivo e exige uma avaliação cuidadosa dos riscos e benefícios.

O junho laranja não é apenas sobre alertar a população, mas também sobre oferecer esperança. Campanhas de conscientização são essenciais para que as pessoas conheçam os sinais precoces da leucemia e busquem ajuda médica o quanto antes. A leucemia, apesar de grave, tem tratamentos cada vez mais eficazes, e a detecção precoce pode fazer toda a diferença na vida dos pacientes. “A leucemia pode ser devastadora, mas a conscientização e o diagnóstico precoce aumentam significativamente as chances de cura. Precisamos falar sobre isso, educar a população e continuar avançando na medicina”, conclui Dr. Eduardo.

A luta contra a leucemia é contínua, e o junho laranja é mais uma oportunidade onde os laços oncológicos ajudam a lembrar da importância da prevenção, do diagnóstico precoce e do apoio às pesquisas e tratamentos que salvam vidas.

Para mais informações sobre os avanços e estudos em oncologia, visite as redes sociais e o site do IOP – Instituto de Oncologia do Paraná.

Sobre o IOP – Instituto de Oncologia do Paraná:

Com quatro sedes estrategicamente localizadas em Curitiba (PR), o IOP (Instituto de Oncologia do Paraná) comemorou em 2023 seus 28 anos de fundação. Hoje a empresa faz parte de uma holding, o Grupo Med4U. Além do IOP, estão no guarda-chuva o IOP Educa, IOP Pesquisa, Mantis Diagnósticos Avançados, Valencis Home Hospice e Oncoville, centro de radioterapia.

Destaques para a parceria com o Hospital São Marcelino Champagnat, desde dezembro de 2021, assim como a parceria com o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Vale ressaltar que o IOP é a única clínica do sul do Brasil a fazer parte da Rede Einstein de Oncologia e Hematologia, para discussão de casos, troca de conhecimentos e encaminhamento de casos raros e mais complexos quando necessário.

Com 93 médicos no corpo clínico e 184 colaboradores, o IOP oferece os mais avançados tratamentos no câncer, conjugando Medicina de qualidade, tecnologia e humanização. Conta ainda com uma equipe multidisciplinar, incluindo Nutrição, Psicologia, Enfermagem e Farmácia para o enfrentamento positivo da doença. Os tratamentos de ponta ainda são beneficiados com diferenciais como cromoterapia, aromaterapia e musicoterapia. Para agendar sua consulta, acesse nosso site https://iop.com.br/

Mais informações:

https://iop.com.br/

Mateus Leme
Rua Mateus Leme, 2631 B
(41) 3207-9797

Batel
Rua Saldanha Marinho, 1814
(41) 3207-9798

Oncoville
Marginal Rodovia BR-277, 1437
(41) 3099-5800

Hospital São Marcelino Champagnat
Av. Presidente Affonso Camargo, 1399
(41) 3087-7600

 

Leia outras notícias no HojePR.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *