HojePR

HOJEPR LOGO
Siga no WhatsApp
Pesquisar

14/07/2024

ANA CLAUDIA WIECHETECK

O Jeitinho brasileiro X Sucesso empresarial

Nos últimos anos, o Brasil tem experimentado um grande aumento no número de micro e pequenas empresas. São vários os fatores que contribuíram para concretizar este movimento, mas podemos citar o avanço da tecnologia principalmente pós pandemia onde muitos processos tornaram-se digitais, o aumento do acesso à internet em dispositivos móveis e pacotes de internet mais acessíveis e a grande quantidade de demissões pós pandemia onde várias pessoas encontraram na criação dos seus pequenos negócios uma maneira de garantir sua independência financeira e até realizar seus sonhos.

No entanto, neste cenário tão fértil há um vilão: a informalidade e a falta de capacitação dos empreendedores. Muitos deles abrem os seus pequenos negócios sem o necessário embasamento jurídico, fiscal, sem gestão financeira, sem conhecer o seu mercado de atuação e sem nenhuma estratégia. O risco de fracasso é iminente! É o famoso jeitinho brasileiro, mas agora na vida dos empreendedores. Começar a trabalhar no seu negócio próprio, mas sem organização, sem controle, sem segurança, sem estratégia, na base da lei do menor esforço e do “deixa a vida me levar”.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 40% dos trabalhadores brasileiros atuam na informalidade. Os negócios informais andam na direção do seu fechamento. Além disso, os empreendedores acabam não tendo nenhum respaldo ou suporte legal, previdenciário nem trabalhista, o que causa grande insegurança presente e futura para todos os envolvidos nestas empresas. Tanto os proprietários, sócios e até os funcionários. E aqui, nem estamos considerando as famílias que são sustentadas por estes trabalhadores que a qualquer momento, podem se ver sem nenhuma garantia no seu trabalho.

A informalidade chama a atenção de muitos pequenos empreendedores porque, à primeira vista, parece oferecer vantagens como a ausência de burocracia e a eliminação de impostos. Porém, no médio e longo prazo, estas vantagens se tornarão muito prejudiciais para o negócio. Desde a dificuldade em acessar linhas de crédito e financiamento que são importantes para a abertura e expansão da empresa, restrição no acesso a fornecedores devido à falta de emissão de notas fiscais, passando pela ausência de proteção legal em caso de disputas judiciais ou comerciais, entre vários outros desafios que se tornam mais difíceis diante da informalização.

A falta de profissionalização também é um forte inimigo da empresa. Muitos empreendedores abrem as suas empresas sem estratégia e sem pensar no mercado no qual querem ingressar. Uma análise de mercado avaliando as maiores oportunidades e ameaças e um planejamento de marketing simples já oferece grandes vantagens de sobrevivência em um mercado com tantos concorrentes em todos os setores. A profissionalização gera mais credibilidade ao negócio. Empresas com processos e serviços definidos com base em estratégias bem pensadas e estudadas são vistas com mais confiança pelos consumidores e por parceiros de negócios.

Atualmente, é fácil encontrar cursos que ensinam processos básicos dentro das empresas. Desde cursos de planejamento estratégico, análise de mercado, gestão de pessoas, gestão financeira entre outras que são áreas importantes e de grande risco para as organizações. Estas áreas, se não forem muito bem controladas, podem seriamente contribuir para o fracasso e fechamento da empresa. Por isso, é importante que o empreendedor busque habilidade e profissionalização nestas áreas, se quiser manter a sua empresa crescendo de forma saudável e permanente.

Dentro da área de Marketing, um fator importantíssimo para a manutenção das empresas é o empresário estar sempre atento às movimentações do seu setor, seus concorrentes, seu mercado de atuação e dos seus clientes. Estes são aspectos básicos que devem ser considerados em qualquer planejamento de Marketing, mas que dão uma clareza muito grande, tanto no que diz respeito ao cenário no qual a empresa está inserida como nos próximos passos dela, considerando inclusive o seu planejamento em um mercado futuro.

Se você é pequeno empresário e acha que a informalização será temporária e a falta de profissionalização acontece unicamente devido à falta de experiência, eu incentivo você a mudar esta situação. A formalização para a sua empresa trará uma série de benefícios que são essenciais para o crescimento sustentável do negócio. E a profissionalização abrirá portas de clientes e fornecedores que levarão a sua empresa a outro patamar, permitindo que você acesse novos públicos, novos fornecedores, melhorando a sua imagem, sua marca e a sua margem de lucro.

Não encare a formalização e a profissionalização como um obstáculo, mas como um passo necessário para garantir o sucesso e a sustentabilidade do seu negócio. Formalizar o seu negócio permitirá que você colha os frutos da prosperidade.

Leia outras colunas da Ana Claudia Wiecheteck aqui.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *