HojePR

LOGO-HEADER-slogan-675-X-65

07/02/2023



Sem Categoria

Até quando, Valentim?

 Até quando, Valentim?

Por Rodrigo Martins – 

 

O Athletico entrou em campo na noite de terça-feira para estrear na tão esperada Libertadores. Jogando na Venezuela, o adversário foi o patinho feio do grupo B: o Caracas FC. Teoricamente, o Furacão conta com um elenco tecnicamente superior e era favorito para ficar com a vitória. Entretanto, como no futebol o que conta são os 90 minutos jogados e não suposições, o Athletico desperdiçou várias oportunidades e ficou no 0 a 0 com o Caracas.

 

Com o empate, a pressão sobre o técnico Alberto Valentim aumenta drasticamente e para acompanhar uma pergunta que fica cada vez mais gritante: até quando Valentim irá permanecer no comando do elenco?

 

As críticas parecem acuar o treinador, que até tenta mudanças na postura da equipe, mas não consegue vitórias concretas. Nas coletivas mais recentes, Valentim se esquiva da responsabilidade pelos resultados negativos e fica na promessa de melhoras.

 

O time de Alberto Valentim já tem a sua “cara”, um time que cria, finaliza, mas não converte em gols no primeiro tempo. Na segunda etapa, um time desorganizado, que taticamente não sabe ser ofensivo e ainda leva sustos em contra-ataques dos adversários.

 

O Athletico teve um bom tempo para preparar o elenco até chegar a primeira rodada da Libertadores. Foram quase quatro meses e nesse período foram oito jogos, sendo sete comandados por Valentim. No total são duas vitórias, quatro empates e duas derrotas. O clube ainda amarga um vice-campeonato para o Palmeiras na Recopa, uma recente eliminação para o rival Coritiba no Paranaense e uma torcida que há algum tempo está hesitante com a permanência do treinador

 

Valentim acumula uma série de decisões que são questionáveis. No jogo desta terça-feira (5), fez substituições no segundo tempo que não surtiram nenhum efeito e já foram vistas em outros jogos, como contra o Coxa e Londrina. A sua teimosia em simplesmente povoar o campo de ataque com vários jogadores, que formam uma linha com quatro atletas nas proximidades da área e esperam um cruzamento, até o momento não resultou em gols. Essa exposição desesperada faz ainda o sistema defensivo sofrer com contra-ataques. A sorte é que, no jogo contra o Caracas, o goleiro Bento se mostrou preparado para defender a meta athleticana e a pontaria do Caracas não estava calibrada.

 

A escolha de Alberto Valentim como treinador foi questionada pela torcida desde a sua chegada em 2021, que sempre teve desconfianças no comandante. Com o título da Sulamericana e a permanência na Seria A do Brasileirão, Valentim ganhou uma sobrevida no começo desse ano. Sobrevida que, para o torcedor athleticano, terminou com a eliminação para o Coritiba.

 

A diretoria do Athletico e, principalmente, Mario Celso Petraglia bancam a continuidade do treinador no clube. Em uma entrevista no dia 28 de março, o mandatário do Furacão garantiu a permanência de Valentim no clube e avisou que não daria ouvido as críticas.

 

Basta agora saber até quando irá perdurar essa permanência. A corda bamba em que está Valentim agora balança sobre uma ventania, ou melhor, um furacão. No domingo (10) vai até o Morumbi para enfrentar o São Paulo, time que não vence desde 2019, e na quinta (14) recebe o The Strongest, na Arena da Baixada (junto com a impaciência da torcida).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *