HojePR

LOGO-HEADER-slogan-675-X-65
Siga no WhatsApp

23/06/2024

glenn stenger futebol

Real Madrid fora do Mundial de Clubes?

ancelotti

Toda semana nos encontramos aqui nessa coluna para falarmos de futebol. Mas sempre com uma visão diferente. Tratando o futebol como negócio.

Li que o Real Madrid não vai disputar o próximo torneio criado pela FIFA, com 32 equipes, e que definirá quem será o campeão mundial de clubes. A notícia foi colocada pelo treinador (Ancelotti) e depois desmentida pelo clube. Nessa incerteza temos dois pontos a destacar. Se foi citado pelo responsável técnico, o assunto foi discutido e chegaram em um denominador comum. Se voltaram atrás, certamente foi pela pressão exercida pela Federação Internacional, mantendo o clube na competição, mesmo que ele (o clube) saiba que, financeiramente, não lhe será rentável.

Está aí a realidade que sempre tento expor. Muita gente, ainda presa aos conceitos mais antigos, acredita ser um absurdo fazer as contas do valor empregado para se ter um título de campeonato ou até pela possibilidade de se disputar algum torneio.

Podem até falar: o Real já ganhou tudo mesmo. Um a mais ou a menos não fará diferença! Por isso nem quer disputar. Podem também dizer: a faixa de campeão faz com que o clube mude de patamar e por isso todo clube tem obrigação de disputar todos os campeonatos.

Ambas as colocações estão corretas, em partes. Afirmo, sem medo nenhum de errar, que esse tipo de pensamento foi o que conduziu todos os clubes até poucos anos. Mas também afirmo que esse mesmo pensamento foi o que conduziu os clubes à uma condição financeira pré-falimentar.

Quase todos os clubes brasileiros não tiveram suas portas fechadas pois há a necessidade de se abastecer o povo com entretenimento e, por vezes, desviar a atenção de problemas sociais e políticos mais sérios. Aí sempre foi dado um “remédio” para os clubes que “baixava a febre”, mas nunca os retiravam da UTI.

Estão se quebrando paradigmas. Participar de torneios só por participar não faz mais sentido. Ter apenas mais um troféu na galeria não faz mais sentido. Essas duas situações são bem bacanas, sim. O clube deve participar do máximo de torneios possíveis e deve sempre buscar a melhor colocação em cada um deles. Mas isso tudo sempre agregado à análise financeira. Se for deficitário, deixa-se de lado ou (se a participação for obrigatória) encontra-se uma maneira alternativa de se mitigar prejuízos.

É o que sempre se fala nessa coluna. Ou se muda, se profissionaliza, ou se está atirando cada vez mais no precipício financeiro. As distâncias entre quem entende essa métrica e quem não atende tem aumentado ano após ano. O maior time de futebol do mundo é prova disso. Talvez teve que retroagir nesse momento devido à pressão. Mas deixou o recado no ar.

Leia outras colunas do Glenn Stenger aqui.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *