HojePR

LOGO-HEADER-slogan-675-X-65

19/04/2024



Sem Categoria

As Meninas Edelweiss

 As Meninas Edelweiss

Local aconchegante, com cortinas de renda e papel de parede de florzinha, é referência afetiva para gerações de clientes

 

Esquina das alamedas Augusto Stellfeld e Ângelo Sampaio. Faz parte da minha memória dos tempos do Positivo da Ângelo. Fim da aula e uma passadinha na Edelweiss que, além das gostosuras, era ponto de encontro de muitos estudantes enquanto esperavam carona. Eu voltava a pé ou de ônibus.

As cariocas Marci Scovedo Horta e Paula Scovedo Horta, mãe e filha, são as Meninas Edelweiss, chamadas carinhosamente assim pelos clientes. Muitos dos estudantes de tempos atrás hoje são médicos do Hospital Mackenzie (distante a uma quadra), advogados, professores, engenheiros, jornalistas, administradores. Os ex-adolescentes hoje levam os filhos à Edelweiss. Marci contabiliza que é a segunda geração de clientes.

 

De Manaus a Curitiba

Antes de chegar a Curitiba, a família Scovedo Horta passou por outras cidades em função do cargo no Banco do Brasil de Jorge Horta, marido de Marci. Em Manaus ela teve a Maria Torta, sucesso entre os manauaras.

Em 1988, a mudança foi para Curitiba, para que os filhos tivessem boas opções de faculdades. Chegando à cidade, ela buscou um local para abrir uma confeitaria. Achou, se apaixonou e está na mesma esquina deste então, há 36 anos.

A compra do ponto determinava que o nome não poderia ser mudado. Edelweiss é uma planta que nasce na Suíça, Áustria e Canadá, e dura cerca de 80 anos após ser colhida. Por isso significa prova de amor eterno. E assim parece ser a relação de Marci e Paula com os clientes esporádicos, semanais e diários.

O ambiente é simples, sem mesas, apenas bancos encostados nas paredes que já ostentaram os muitos prêmios das revistas Veja e Gula. Esta considerou a coxinha com Catupiry da Edelweiss como a melhor do Sul do Brasil. Isto não é pouco!

“Já recebemos premiações pela coxinha, pelo bombom de morango, pelo strudel e pelo Don Corleone, que foi o primeiro prêmio nos concedido pela Veja. Os prêmios estão guardados com muito carinho”, lembra Marci.

 

Marci e Paula e o premiado Don Corleone

 

Capricho na cozinha

As vitrines dos balcões parecem vazias, mas não se engane. Tanto os doces como os salgados são feitos pouco a pouco, à medida que são vendidos.

Não há micro-ondas nem freezer na Edelweiss porque o preparo é diário. Aconselho chegar bem antes das 17 horas, porque provavelmente neste horário toda a produção do dia terá sido vendida.

Pergunto o que é mais trabalhoso de preparar, doce ou salgado. Marci e Paula respondem que ambos. Os morangos, depois de serem esterilizados, são secos um a um em papel toalha, e são retirados cabinhos e folhas. Quer saber a quantidade? Diariamente são 12 caixas grandes de morangos. “Esta é uma das minhas tarefas diárias”, disse Paula.

Já a sobrecoxa é lavada, limpa, deixada num preparo de alho, cebola e alho-poró, e a carne é desfiada à mão. Aliás, todo o trabalho é manual. A Edelweiss funciona como a cozinha das nossas avós. E falando nelas, a Edelweiss também tem arroz doce e manjar de coco com calda de ameixa preta.

Para os meses de inverno, Marci acrescenta ao cardápio as cucas (ou cuques) de uva e maçã.

A função é grande, mas são apenas quatro funcionárias, além da Marci, que coloca a mão na massa e coordena a produção, e da Paola, que faz o atendimento no balcão. A funcionária mais antiga, com 31 anos de casa, tem tanta prática que faz os salgados sem olhar. E todos saem do mesmo tamanho. Já a responsável pelos doces, começou a trabalhar aos 17 anos. Hoje, aos 42, continua lá.

 

Bombom de morango com cobertura de chocolate

 

Histórias

As Meninas têm memória ótima. São muitos os causos nestes 36 anos, como o do casal que se conheceu enquanto Marci fritava as coxinhas de Catupiry. Eles se casaram e têm uma filha.

Ou do menino, que media menos que a altura do balcão e que morava num prédio próximo. Diariamente ia à confeitaria, mas nunca levava todo o dinheiro. E quando saía dizia “tchau, tia” e este virou o apelido dele.

Havia outro menino pequeno que sentava nos bancos, mas os pés não chegavam ao chão. Hoje ele é médico cirurgião.

Ou a moça mineira que viu Marci abraçar uma amiga. Achou o abraço tão afetuoso que pediu um. Tempos depois voltou à confeitaria e junto com o bombom de morango pediu mais um abraço.

Duas senhoras e duas moças, da mesma família entraram e fizeram o pedido. Enquanto aguardavam, lembraram-se da missa de sétimo dia de um parente e de outra pessoa que havia sido operada e estava no Evangélico (antigo nome do Mackenzie). Neste tempo começaram a cantar “Nossa Senhora, me dê a mão, cuide do meu coração…”, de Roberto Carlos, em forma de jogral, como se estivessem sozinhas no mundo. Pegaram a encomenda e saíram em direção ao hospital.

Há também os frequentadores assíduos que saem em defesa das duas quando algum cliente é grosseiro.

Marci poderia escrever um livro sobre o dia a dia na Edelweiss. Talvez o faça.

Mas do que ela gosta mesmo é de ler e de anotar pensamentos. Tem um caderno cheio. E dois são os preferidos: “Defenda-se com o sorriso, ataque com o silêncio e vença com a indiferença” e “Se alguém te fizer muito feliz, revide”.

Na Edelweiss não são feitas reservas nem atendem encomendas (em função dos muitos calotes que receberam). Não tem telefone, nem cartão de visitas e o Instagram apenas existe.

Ou seja, é preciso IR à Edelweiss. Mas garanto que vale a pena. E se a Marci estiver no balcão puxe conversa. A prosa será das melhores.

 

Bombom de morango com cobertura de caramelo

 

> Confeitaria Edelweiss

Alameda Augusto Stellfeld, 1631, Bigorrilho, Curitiba

Segunda a sábado, das 12h às 17h

@edelweissconfeitaria

 

Cardápio

• Bacon: do prato ao copo

Drinque com bacon. Esta é a proposta do Mango Café Brazil, em Curitiba. Bacon (nome do drinque autoral) é encorpado e amargo, combina a defumação do bacon com a intensidade do café, resultando em uma explosão de sabores.

Além do drinque Bacon (R$39,00), o Mango demonstra como a cozinha trabalha este ingrediente versátil e surpreendente, de pratos principais a sobremesas.

Com um cardápio autoral e uma atmosfera acolhedora, o local propõe uma experiência culinária que vai além do convencional, convidando os clientes a brindarem com bacon e a deliciarem a criatividade e inovação do começo ao fim da refeição.

 

> Mango Café Brazil

Rua Brigadeiro Franco, 3941, Rebouças, Curitiba

Terça a sexta, das 18h à meia-noite; Sábado, das 12 à 1h; Domingo das 12h às 19h

@mango.cafebrazil

 

Sábado é dia de Feijoadíssima no Mabu Curitiba Business

Estamos no verão, mas um vento mais fresco já sopra, o que faz lembrar que é tempo de feijoada. E o Mabu abriu aos sábados a temporada da Feijoadíssima considerada uma das melhores de Curitiba.

No buffet, as carnes que compõem a feijoada estão separadas. Cada caldeirão com um tipo: paio, costelinha, feijão e lombo. Você monta o prato com o que mais gosta, além da banana frita, farofa, couve, laranja e caldinho de feijão.

A equipe culinária do Mabu Curitiba Business garante que cada detalhe da feijoada é preparado com excelência, dos cortes de carne aos acompanhamentos, proporcionando uma viagem ao coração da culinária brasileira.

 

> Mabu Curitiba Business

Rua XV de Novembro, 830, em frente à Praça Santos Andrade, Centro

Feijoada servida aos sábado, das 11h às 15h

R$80,00 por pessoa

Reservas (41) 3219 6000

 

• Feirinha Gastronômica no Shopping Crystal aos sábados

A proposta é valorizar as empreendedoras locais que produzem artesanato e gostosuras coo cucas, brownies, geleias, salames de Santa Catarina, queijos, sonhos gourmet, bolo no pote, pipoca gourmet, canudos de diversos sabores, milho, pamonha, curau, tortas doces e salgadas, biscoitos.

O evento acontece aos sábados, das 11h às 18h, no Piso L2, com revezamento entre as feirantes participantes.

Um passeio interessante para este sábado!

 

> Feirinha Gastronômica do Shopping Crystal

Piso L2 do Shopping Crystal

Sábados da 11h às 18h

Shopping Crystal

R. Comendador Araújo, 731 – Batel, Curitiba – PR

@shoppingcrystal

www.shoppingcrystal.com.br

 

• Nordeste Tropical no Paradis Club

O chef Felipe Pires assina o cardápio de fevereiro do Paradis Club, dentro das comemorações de 10 anos da casa.

O tema do menu exclusivo deste mês é o Carnaval. O Menu Degustação por chef Felipe Pires harmoniza Mini Negroni, Mini Old Fashioned e Mini Caipirinha com Mochis de Dendê (recheio de Camarão e Maionese de Maracujá), espetinho de Peixe com Pimentões (servidos com Vinagrete de Cebola Roxa e Purê de Pipoca), Mini Mousse de Cupuaçu (com Molho de Goiabada Cascão com Limão e Crocante de Castanha do Pará), por R$70,00. Há também opção vegetariana.

Outras opções do cardápio são Mochi de Dendê (com recheio de Camarão Sete Barbas e Maionese de Maracujá, 4 unidades, R$35,00, além de opção sem camarão); Espetinhos de Peixe Branco com Pimentões Vermelho e Amarelo (Vinagrete de Cebola Roxa e Purê de Pipoca, unidades, R$35,00); Espetinho de Cogumelo Paris (com Pimentões Vermelho e Amarelo, Vinagrete de Cebola Roxa e Purê de Pipoca, 3 unidades, por R$20,00) e Mousse de Cupuaçu (com Molho de Goiabada Cascão com Limão, Crocante de Castanha e Hortelã, R$35,00).

 

> Guest Chef de Cousine – Paradoxo – Paradis Club

Todas às sextas-feiras, a partir das 19h

Rua Paula Gomes, 306 – São Francisco

Entrada gratuita até às 22h. Após, R$30,00 ou R$20,00 (com nome na lista)

Instagram (@paradisclub)

Facebook/paradisclubcwb

 

Leia outras colunas Mesa Posta aqui.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *