HojePR

HOJEPR LOGO
Siga no WhatsApp
Pesquisar

12/07/2024

marcus vidal rock n' roll

Prince: simplesmente um gênio

prince

Em 25 de junho de 1984, há quarenta anos, Prince, um gênio da música, lançou seu sexto álbum, Purple Rain. Trilha sonora do filme de mesmo nome, estrelado pelo próprio artista, apresentava pela primeira vez a banda The Revolution. Porém a produção e a maioria dos instrumentos foram tocados por Prince. É considerado o segundo melhor álbum da década de 1980 e vendeu mais de 20 milhões de cópias em todo mundo. A genialidade do “Mago de Minneapolis” está presente em todas as canções do álbum. Um marco da década.

Let’s Go Crazy começa com um sermão em estilo de pregação, seguida por uma explosão de energia. A faixa combina riffs de guitarra elétrica com sintetizadores, criando uma mistura vibrante e dançante. “I’m not gonna let the elevator bring us down, Oh no, let’s go, let’s go crazy, Let’s get nuts, Let’s look for the purple banana, Till they put us in the truck, Let’s go.”

Take Me With U tem a colaboração cantora e atriz Apollonia, seu par no filme. É uma faixa pop alegre e romântica. Os vocais suaves de Apollonia combinam perfeitamente com a performance carismática de Prince, e a instrumentação é exuberante, com uma melodia extraordinária.

The Beautiful Ones é uma balada que mostra a versatilidade vocal de Prince. Começa suavemente e cresce em intensidade, culminando em um clímax dramático.

Computer Blue é uma faixa experimental que mistura elementos de rock e funk com uma produção futurista. A instrumentalização é complexa, com mudanças de ritmo e solos de guitarra impressionantes.

Darling Nikki é uma canção controversa que lida com temas de sexualidade de maneira explícita. O som é sombrio e sedutor, com uma produção que destaca a ousadia de Prince tanto nas letras quanto na música.

When Doves Cry é um dos maiores sucessos de Prince. Esta faixa é notável pela ausência de linha de baixo, algo incomum em uma canção pop-rock. A melodia é surpreendente e a letra aborda a complexidade das relações amorosas. A produção é minimalista, mas poderosa, destacando a habilidade de Prince em criar atmosferas únicas. “How can you just leave me standing? Alone in a world that’s so cold, Maybe I’m just too demanding, Maybe I’m just like my father, too bold, Maybe you’re just like my mother, She’s never satisfied (she’s never satisfied), Why do we scream at each other? This is what it sounds like when the doves cry.”

I Would Die 4 U é uma faixa pop-dançante com influências de new wave. A letra é espiritual e messiânica, sugerindo um amor incondicional e transcendental. A batida é arrasadora e os sintetizadores dão um toque futurista à música.

Baby I’m A Star é uma canção energética e otimista que celebra o sucesso e a autoconfiança. A instrumentação é vibrante, com uma seção de metais que adiciona um toque funkiado à faixa. Prince exala carisma e entusiasmo, fazendo desta uma das faixas mais sensacionais do álbum.

A faixa-título, Purple Rain, é uma balada épica que combina elementos de rock e gospel. A performance vocal de Prince é intensa e emocional, e o solo de guitarra é um dos mais memoráveis de sua carreira. A letra é introspectiva e poética, abordando temas de redenção e cura. “I never meant to cause you any sorrow, I never meant to cause you any pain, I only wanted one time to see you laughing, I only wanted to see you laughing in the purple rain, Purple rain, purple rain, Purple rain, purple rain, Purple rain, purple rain, I only wanted to see you bathing in the purple rain.”

Purple Rain é uma das maiores obras-primas do pop-rock da década de 1980. Prince se firma como um dos maiores ícones do rock e, mesmo com a sua morte em abril de 2016, continua sendo considerado um dos maiores gênios do rock’n’roll. Do bom e velho rock’n’roll!

Leia outras colunas do Marcus Vidal aqui.

1 Comentário

  • Ótimo texto. Quanto à ser o “segundo melhor álbum da década de 80” existem inúmeras controvérsias. Várias listas o colocam em primeiro lugar. Várias outras listas o colocam em segundo. Acho que essa questão nunca será realmente resolvida. Na minha opinião ele é o segundo melhor álbum da década de 80 ficando atrás do simplesmente genial álbum SIGN O THE TIMES do próprio Prince lançado em 1987.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *