HojePR

LOGO-HEADER-slogan-675-X-65

30/01/2023



Sem Categoria

Covid-19: China registra mais de 3 mil casos em um só dia

 Covid-19: China registra mais de 3 mil casos em um só dia

A China registrou quase 3.400 casos diários de Covid-19 no último domingo (13), o dobro do dia anterior, forçando bloqueios em pontos críticos de vírus, enquanto o país enfrenta seu surto mais grave em dois anos. O aumento de casos fez com que as autoridades fechassem escolas em Xangai e bloqueassem várias cidades do nordeste do país.

 

A cidade de Jilin foi parcialmente fechada, com centenas de bairros fechados, enquanto Yanji, uma área urbana de quase 700.000 habitantes na fronteira com a Coreia do Norte, foi totalmente fechada.

 

A China, onde o vírus foi detectado pela primeira vez no final de 2019, manteve uma política estrita de tolerância zero contra a Covid, aplicada por bloqueios rápidos, restrições de viagem e testes em massa quando surgiram as variantes.

 

Mas o surto mais recente, impulsionado pela variante Omicron altamente transmissível e um pico de casos assintomáticos, está desafiando essa abordagem. Zhang Yan, um funcionário da comissão de saúde da província de Jilin, admitiu no domingo que a resposta ao vírus das autoridades locais até agora estava faltando. “O mecanismo de resposta de emergência em algumas áreas não é robusto o suficiente, não há compreensão suficiente das características da variante Omicron levando a um julgamento impreciso”, disse ele em uma coletiva de imprensa do governo.

 

Os moradores de Jilin completaram seis rodadas de testes em massa, disseram autoridades locais. No domingo, a cidade registrou mais de 500 casos da variante Omicron. A cidade vizinha de Changchun – uma base industrial de nove milhões de pessoas – foi fechada na sexta-feira.

 

As cidades menores de Siping e Dunhua, ambas na província de Jilin, foram fechadas quinta e sexta-feira, de acordo com anúncios oficiais. O prefeito de Jilin e o chefe da comissão de saúde de Changchun foram demitidos de seus cargos no sábado, informou a mídia estatal.

 

O fracasso com a tolerância zero vem aparecendo na China, com autoridades pedindo cada vez mais medidas mais brandas e direcionadas para conter o vírus, enquanto economistas alertam que repressões duras estão prejudicando a economia.

 

À medida que os casos aumentaram desde o final de fevereiro, a resposta em diferentes partes do país tem sido geralmente mais suave e mais direcionada em comparação com dezembro, quando a cidade de Xi’an e seus 13 milhões de habitantes foram confinados por duas semanas .

 

Na maior cidade da China, Xangai, as autoridades têm se movido cada vez mais para fechar temporariamente escolas, empresas, restaurantes e shoppings por medo de contato próximo, em vez de quarentenas em massa. Longas filas foram vistas do lado de fora dos hospitais da cidade, enquanto as pessoas correm para obter um teste Covid negativo. À medida que os casos aumentam, a comissão nacional de saúde do país anunciou, na sexta-feira (11), que introduziria o uso de testes rápidos de antígeno.

 

Na semana passada, um importante cientista chinês disse que o país deveria ter como objetivo coexistir com o vírus, como outras nações, onde o Omicron se espalhou como um incêndio. Mas o governo também deixou claro que os bloqueios em massa continuam sendo uma opção. O vice-primeiro-ministro chinês Sun Chunlan pediu no sábado que as regiões ataquem rapidamente e eliminem os surtos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *