HojePR

LOGO-HEADER-slogan-675-X-65

29/01/2023



Sem Categoria

Do riso ao choro, No Ritmo do Coração é repleto de sensibilidade

 Do riso ao choro, No Ritmo do Coração é repleto de sensibilidade

Na disputa em três categorias do Oscar 2022, o longa metragem é tocante e traz atuações impecáveis

 

Por Patricia Lourenço –

No Ritmo do Coração não tem a fotografia de Ataque dos Cães, nem os efeitos especiais de Duna e muito menos uma história biográfica de superação como King Richard. Mas ele tem algo que poucos filmes conseguem. Ser leve, confortar o espectador, ter momentos sensíveis, gera empatia e passa longe de ser um filme “sessão da tarde”. Portanto, faz sentido estar concorrendo na categoria de Melhor Filme com outros nove filmes no Oscar 2022.

 

O tocante material dirigido pela cineasta Sian Heder, que se encontra disponível no catálogo da Amazon Prime Video, conta a história de Ruby Ruby (Emilia Jones), uma menina de 17 anos, que é a única ouvinte de uma família de surdos (pai, mãe e irmão) – uma CODA (child of deaf adults), filha de adultos surdos. A trama nos leva a acompanhar o dia a dia de Ruby, sendo intérprete para a família, trabalhando no barco de pesca junto ao pai e irmão, e sua vida tímida na escola. Um dos pontos de virada do filme, é quando a protagonista começa a fazer parte do grupo de coral da escola e ali encontra um rumo, um propósito de vida, algo que não havia passado por sua cabeça por conta do conformismo de sua situação. E a partir desse momento o filme dá uma guinada.

 

Incentivada por seu entusiasta professor (Eugenio Derbez) a se inscrever em uma prestigiosa universidade de música, Ruby se encontra dividida entre não estar mais auxiliando como intérprete a sua família e a busca de um futuro sonhado. Com toda ironia que a trama carrega, acompanhamos a infelicidade de uma garota prodígio para o canto e que não pode dividir seu talento com a família. É um filme sobre descobrimento, amadurecimento tanto do lado da Ruby quanto da família, sobre laços familiares e crescimento!

 

No Ritmo do Coração traz um excelente elenco de atores surdos, e conquista alguns marcos com isso. Recentemente ganhou o prêmio de Melhor Elenco no Sag Awards, além de Troy Kotsur que interpreta o pai de Ruby ser indicado na categoria de Ator Coadjuvante no Oscar, o primeiro ator surdo. E, olhe, tem grandes chances de levar a estatueta. Destaque para a cena comovente onde Ruby e seu pai estão sentados na caçamba de uma caminhonete. Prepara os lenços, viu!

 

O roteiro adaptado por Sian Heder, vai ao fundo do drama de Ruby e de sua relação contraditória de interdependência e incompreensão com a família. O irmão mais velho, por exemplo, aparece na trama sendo tratado como criança por seus pais que duvidem de sua capacidade de entendimento e comunicação. Por isso vale dizer que é um filme de amadurecimento da família como um todo.

 

No Ritmo do Coração é um remake baseado na obra francesa A Família Bélier (2014) de Éric Lartigau, uma comédia dramática. A versão norte-americana sai disparada na frente em termos de qualidade, ainda mais quando pensamos na representatividade no elenco. O longa-metragem começa com o barco da família Rossi no mar, fotografia linda, e um aguardo do tempo onde esperamos algo acontecer. Até que então ouvimos a voz de Emilia Jones cantarolando Something’s Got A Hold On Me, de Etta James. Ali já é possível perceber que virá um filmão pela frente!

 

Coda ou No Ritmo do Coração concorre em três categorias no Oscar 2022, sendo elas: Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante e Melhor Roteiro Adaptado. Aqui no HojePR, você pode conferir o trailer da obra e no Amazon Prime Video o filme completo. Lembrando que a premiação ocorre dia 27 de março e fica aqui a minha torcida para Troy Kotsur como Ator Coadjuvante!

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *