HojePR

HOJEPR LOGO
Siga no WhatsApp
Pesquisar

12/07/2024

AGRONEGÓCIO

Líder em várias commodities agrícolas, Paraná também produz o popular milho-pipoca

Estado com ampla diversidade agropecuária, o Paraná destaca-se entre os maiores produtores de commodities, mas o Estado também abriga quem produz alimentos mais populares e vendidos normalmente no varejo, como o milho-pipoca. Uma análise sobre esse produto está no Boletim de Conjuntura Agropecuária referente à semana de 7 a 13 de julho.

 

O documento é preparado pelos técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab). Nesta semana o Deral está realizando uma pesquisa sobre o formato do boletim. Ela pode ser acessada aqui.

 

Estima-se que em 2022 foram produzidas 868,1 toneladas de milho pipoca em uma área de 279 hectares no Estado. A produção é desenvolvida em 97 municípios. Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, lidera com a entrega de 130 toneladas, ou 15% da produção estadual. Em segundo lugar está Mandaguari, na região Norte, com 48 toneladas, seguido de Capanema, no Sudoeste, com 38 toneladas.

 

O Valor Bruto de Produção (VBP) do milho-pipoca está estimado em R$ 3,5 milhões. Um grande contraste com o milho comum, que teve 16,2 milhões de toneladas produzidas em 2022, alcançando VBP de quase R$ 13 bilhões. No entanto, a pipoca é um tradicional quitute das festas juninas e de momentos de lazer dos brasileiros.

 

O milho-pipoca tem uma diferença essencial em relação ao milho comum, pois contém volume maior de água em sua composição, a semente é pequena e a casca mais dura. Ao ser submetido a altas temperaturas, a água encapsulada no interior vira vapor pressionando a casca, que se rompe. No primeiro contato com o ar, o amido solidifica-se e vira a espuma branca que se consome.

 

Milho e soja

O boletim também fala sobre a queda nas cotações apresentadas pela soja e milho em 2023. No caso da soja, os preços estão próximos de R$ 124,00 a saca de 60 quilos, o que representa queda de 28% comparado ao fechamento de julho de 2022. Para o milho, a queda é de 40%, ficando hoje em torno de R$ 46,00 a saca.

 

Trigo e feijão

Entre os itens que registraram queda de preço em junho está o pão francês. Levantamento do Deral mostrou que no Paraná a redução média foi de 3,4% comparativamente a maio, refletindo a baixa de 4,9% observada no valor da farinha especial, no atacado. Para o feijão de cores, a maior redução de preço, que tinha começado em abril, foi observada na semana passada, chegando a 20%. Em média, os produtores paranaenses receberam R$ 183,00 pela saca de 60 quilos. O feijão preto não apresentou muita variação e o preço ficou em R$ 220,00 pela saca.

 

Bovinos e aves

O documento registra que os preços da arroba bovina seguem a trajetória de recuperação iniciada na metade de junho, ainda que a correção esteja limitada pela fraca demanda interna. Os preços futuros também permanecem abaixo do observado no mercado físico.

 

O custo de produção do frango, no Paraná, teve recuo de 7,4% em maio, de acordo com a Embrapa Suínos e Aves, passando de R$ 4,98 o quilo em abril para R$ 4,61. A alimentação, principal item, passou a representar 68,54% no custo total de produção, alcançando R$ 3,16 por quilo, valor 10,2% menor que os R$ 3,52 de abril.

 

Ovos e laranjas

As exportações brasileiras de ovos totalizaram 11,9 mil toneladas entre janeiro e maio de 2023, volume 93,1% superior ao exportado no mesmo período do ano passado (6,1 mil toneladas). O volume já superou toda a exportação de ovos de 2022 pelo Brasil, que foi de 9,4 mil toneladas.

 

No boletim é comentada ainda a estimativa do Fundo de Defesa da Citricultura – Fundecitrus de que a safra de laranjas 2023/24, no Cinturão Citrícola de São Paulo e Minas Gerais, deve chegar a 309,3 milhões de caixas de 40,8 quilos. Frente às 314,2 milhões de caixas da estação anterior, indica uma redução de 1,55%.

 

No Paraná, considerando a mesma safra, mas findando no ano civil de 2023, projeta-se uma colheita de 16,9 milhões de caixas de 40,8 quilos. Os números indicam um aumento de 6,3% comparativamente às 15,9 milhões de caixas do período anterior.

 

Leia outras notícias no HojePR.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *