HojePR

LOGO-HEADER-slogan-675-X-65

07/02/2023



Sem Categoria

O futuro da mobilidade no Brasil

 O futuro da mobilidade no Brasil

Por José Carneiro de Carvalho Neto – 

 

É inegável que vivemos uma nova era, com muitas novas fronteiras a serem desvendadas, algumas poucas
certezas e muitas perguntas. Sim, o novo tempo é de perguntas e não de respostas. Sob este prisma eu
vos trago uma boa questão para ser debatida e entendida; é a seguinte: Qual o futuro da mobilidade no
Brasil?

 

Um país de dimensões continentais como o nosso, tem seus próprios questionamentos, e possivelmente,
mais de uma resposta para quaisquer questões que possam surgir. Em uma discussão de um tema muito
amplo como a mobilidade de uma nação, o mais comum é que uma enorme quantidade de outras
questões subjacentes surjam; vou aqui tratar de poucas, a maioria será desvendada com o tempo.

 

Começo então com uma provocação, muito mais que uma pergunta; quem foi que definiu que o formato
da nova era seria o de veículos elétricos? Faz sentido apostar todas as fichas em veículos elétricos? Terá
o velho motor a combustão chegado ao fim de sua utilização? Afinal, o problema da poluição está na
queima, portanto no motor; ou na origem do combustível? Além dos conhecidos combustíveis
atualmente utilizados, há alguma perspectiva de um novo tipo de combustível? Pronto, como eu havia
dito, são muitas questões; porque o futuro é impreciso, o futuro está em construção, todos os antigos
paradigmas sobre o futuro foram atualizados com muita rapidez nos últimos anos, e o futuro,
aparentemente, voltou para o seu lugar, afinal o futuro de ontem já era amanhã, e agora, o futuro de
hoje é algo além do amanhã.

 

Um país como o Brasil, que ainda não levou eletricidade a 100% de sua população, pode pensar em ter a
matriz de transporte totalmente elétrica? E agora, mais uma pergunta, esse tal de futuro está muito
incerto mesmo. Nem vou puxar o viés da matriz de transporte de carga que a coisa desanda mais um
bocado.

 

Todas estas provocações em forma de perguntas, servem para você leitor, despertar para uma realidade
que bate a nossa porta. Como eu e você vamos nos locomover nos próximos anos? O formato de
eletrificação da frota é uma decisão de governos, quem disse isso não fui eu, foi Carlos Tavares, português,
CEO do conglomerado STELLANTIS, quem tem 14 marcas no seu guarda-chuva. Na sua fala, Tavares
ressalta que limites impostos por governos contra os motores à combustão, são decisões e podem não
se transformar em realidade, porque há muito água a passar por baixo dessa ponte de eletrificação de
frotas, mesmo dentro da Europa, o desafio é mais que hercúleo. O futuro nos dirá, mas eu
particularmente, estou com Tavares. Há uma espécie de desvio da realidade por parte de governos e
parte da imprensa, que está deixando de lado questões muito básicas, como por exemplo: Qual o destino
da frota atual 97% movida à combustã0 (números europeus) nos próximos anos, o que será feito dela? O
desafio da ainda incompleta embora crescente infraestrutura de abastecimento elétrico fora dos grandes
centros. Além de pontos obscuros como a geração de eletricidade com base em usinas que queimam
carvão, e por ai vai.

 

Todas estas questões são sabidas hoje, mas ainda não nenhum tipo de resposta definitiva. Aqui pra nós,
é lindo de imaginar as belas capitais e cidades históricas da União Europeia sem nenhuma fumaça de um
motor à combustão, mas isso não se faz em um toque de mágica, nem por simples desejo de um futuro
melhor, voluntário ou involuntário, estas pedras no caminho terão de serem tratadas.

 

E aqui no Brasil, terra do Etanol, matriz energética própria, que é 90 % menos poluente que a gasolina,
faz sentido pensar em eletrificação de frota? Onde está a nossa solução? Em quanto tempo a nação terá
uma infraestrutura de recarga para veículos elétricos? Poxa, quanto mais falamos neste tema, mais
questões surgem, e não são simples de responder. Pois é caros leitores, o futuro já não é mais como era
antigamente, definitivamente não é mais.


José Carneiro de Carvalho Neto é Diretor Comercial e Relações Institucionais na J. Carneiro Comércio e Representações Ltda | Renault desde 1994

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *