HojePR

LOGO-HEADER-slogan-675-X-65

29/01/2023



Sem Categoria

O vendedor de ovos e a caridade embrulhada

Este texto circulou há alguns anos. Eu o traduzi e adaptei e me parece que continua extremamente apropriado aos tempos atuais.

O narrador conta a história de um idoso que estava na calçada vendendo ovos, que começa quando uma moça desceu de um carro luxuoso e perguntou:

– A quanto você está vendendo os ovos?

O vendedor respondeu:

R$ 5 cada um, senhora.
Ela disse:
Te dou R$ 25 por seis ou vou embora, esticando a mão com o dinheiro e sem nenhuma preocupação em esconder o ar de superioridade.

O velho respondeu:
– A senhora pode pagar quanto quiser. Pode ser um bom começo, porque não consegui vender nem um só ovo hoje.

Ela pagou, pegou os ovos e voltou ao carro, com a sensação de ter feito um bom negócio.
Saindo dali, dirigiu até um restaurante da moda, conhecido pela elegância e pelo refinamento, onde a esperava uma amiga. As duas pediram o que quiseram, comeram bem pouco e deixaram muita comida nos pratos.

Ao sair, ela mesma pagou a conta, que deu R$ 1.400 com a taxa de serviço. Deu R$ 1.500 e disse ao garçom para ficar com o troco.

Analisados separadamente, um dos momentos pode ter sido bastante normal ao proprietário do restaurante, e o outro muito doloroso para o pobre vendedor de ovos.

A pergunta que ocorre é:

– Porque algumas pessoas mostram poder quando lidam com os mais fracos e necessitados? E porque elas exercitam sua generosidade com aqueles que nem precisam dela?

O narrador continua dizendo: “Meu pai costumava comprar coisas simples de pessoas pobres a preços elevados, mesmo que não precisasse delas. Muitas vezes ele pagava muito mais do que valiam. Fiquei preocupado com esse hábito e perguntei: Por que você faz isso?
Ele respondeu:

– É uma caridade embrulhada com dignidade, meu filho”.

_________________________________________________________________

Gerson Guelmann
Pitadas da sabedoria e do humor judaicos, assuntos do momento e um pouco das histórias que vivi e testemunhei.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *