HojePR

LOGO-HEADER-slogan-675-X-65
Siga no WhatsApp

23/06/2024

Qual a melhor cerveja puro malte do mercado?

Todo brasileiro se acha um pouco sommelier de cerveja, não é mesmo? Cada um tem a sua favorita da vida ou, ao menos, a queridinha de uma temporada de verão. Se há alguns anos contavam-se nos dedos das mãos as marcas disponíveis nas prateleiras, hoje temos cerveja de sobra para escolher. De procedência, tipo, cor e teor alcoólico variados.

 

De acordo com o SINDICERV (Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja), o Brasil ocupa o terceiro lugar na lista dos maiores fabricantes de cerveja do mundo, com a marca de 15,4 bi de litros produzidos anualmente com base em cálculos realizados em 2022. Os dois primeiros lugares ficam com a China e com os EUA.

 

Puro malte

Foram avaliados quesitos como cor, estabilidade de espuma, brilho, aroma e sabor.

 

No teste de Paladar, foram escolhidas 13 marcas de cerveja puro malte vendidas nas redes de supermercado. Na definição do sommelier de cervejas Guto Procópio, um dos jurados convidados por Paladar para esta degustação, uma cerveja com o “selo” de puro malte no rótulo é aquela que leva malte de cevada em sua composição. Trata-se de uma cerveja que não substitui o malte de cevada por outro tipo de açúcar, como o açúcar cervejeiro, o arroz ou o milho. “Isso define qualidade?”, questiona Guto. “Não, ela pode ser uma puro malte ruim ou boa, mas sempre esperamos mais intensidade em uma bebida com essa denominação.”

 

Quem é quem? 

Todo teste de Paladar começa com a escolha dos experts que irão avaliar alimentos, bebidas ou equipamentos de uso culinário. Para avaliar 13 das marcas mais populares de cerveja puro malte do mercado, convidamos um time de cinco sommeliers de cerveja: Edu Passarelli, professor do Instituto da Cerveja Brasil e dono do Escarcéu Bar; Bia Amorim, editora da @farofamagazine; Junior Bottura, mestre cervejeiro, fundador da @cervejaavos; Guto Procópio, sócio da @cervejariavaia e do @letsbeer, locação escolhida para este teste de Paladar, e Julia Leme, consultora de hospitalidade e gestão de restaurantes e bares.

 

Reunimos os cinco em uma tarde de segunda-feira para provar e avaliar às cegas cada uma das marcas. O teste foi realizado marca por marca. Ou seja, cada jurado experimentava, em pequenas doses, uma marca de cerveja por vez.

 

A bebida chegava gelada à mesa e depois era reservada para ser provada em temperatura ambiente, o que evidencia eventuais “defeitos” da cerveja.

 

Teste de resistência 

“As marcas de cerveja testadas foram feitas para serem consumidas muito geladas”, explica Edu Passareli. “Quando a prova é feita com a bebida em temperatura ambiente, temos indicativos mais claros das características de cada uma delas”.

 

A sommelier Bia Amorim explicou durante o teste que os jurados procuram os defeitos para que o consumidor, posteriormente, só encontre coisa boa no mercado. O mestre cervejeiro Junior Bottura completa dizendo que a data de validade do produto também é fator de qualidade que vale ser levado em conta: quanto mais nova a cerveja, melhor.

 

Foram avaliadas características como cor, estabilidade de espuma, brilho, aroma e, claro, sabor. Os jurados davam notas de 0 a 10 para cada categoria avaliada. A nota média das cervejas avaliadas ficou entre 6,44, a cerveja menos desejada da avaliação, e 8,96, média da cerveja eleita como a melhor pelo time de jurados.

 

As melhores cervejas puro malte do mercado 

1º lugar – Spaten

2º lugar – Amstel

3º lugar – Imperio

 

As 13 marcas na avaliação dos jurados 

• Amstel (R$ 3,72, 350ml) – A segunda colocada no ranking foi avaliada como uma bebida com notas aparentes de malte e nota floral de lúpulo bem presente. Uma cerveja com leve oxidação, sabor equilibrado que remete a pão. Amargor presente, delicado e muito agradável.

 

• Bohemia (R$ 3,29, 350ml) – Uma bebida de baixo amargor. Aroma agradável e levemente floral, indicando a presença do lúpulo. Uma cerveja equilibrada, com leve oxidação e final doce.

 

• Brahma (R$ 3,36/ 350ml) – Uma bebida com defeitos perceptíveis no aroma, com sinais de oxidação e sabor desagradável. Na boca, sabor tem amargor prolongado.

 

• Cerpa Prime (R$ 5,79, 350ml) – No quesito sabor, a cerveja foi avaliada como doce e sem grandes defeitos. Presença de malte bem marcante, lembrando casca de pão. A coloração foi avaliada como dourada e bastante translúcida. Faltou lúpulo para ficar perfeita. Espuma branca com boa retenção

 

• Eisenbahn (R$ 5,21/ 350ml) – Cerveja levemente frutada, de amargor agradável. Aroma que remete a biscoito. Sabor levemente metalizado, oxidação presente, final seco e agradável. A presença do malte é evidente na bebida. Uma cerveja boa, mas não excelente.

 

• Heineken (R$ 5,00/ 350ml) – Para o nosso time de jurados, a cerveja apresentou leve oxidação, baixo teor alcoólico e final adstringente. Uma bebida visualmente quase perfeita. Sabor de malte muito suave e amargor prolongado e indesejado no retrogosto.

 

• Imperio (R$ 2,70/ 269ml) – A terceira colocada no ranking apresenta, na opinião dos jurados, aroma de lúpulo e malte adequados. Aroma agradável, que remete a fermento de pão e biscoito cream-cracker. Uma bebida leve e equilibrada. Uma leve acidez que deixa a cerveja mais fácil de beber. Final limpo.

 

• Itaipava (R$ 3,25/ 350ml) – Cerveja muito leve e bem carbonatada. Leve aroma de manteiga. Na boca, sensação de cereal tostado agradável, falta um pouco de amargor, mas ele é presente.

 

• Original (R$ 3,75/ 350ml) – Os jurados identificaram um aroma leve de grãos, sabor muito leve e pouco atraente. Uma cerveja leve, com final limpo e agradável. Na boca, apresenta bastante oxidação. Alguns ainda identificaram a falta de um amargor desejável.

 

• Petra (R$ 3,19, 350ml) – A bebida foi avaliada como bastante leve, com um leve toque de maçã, proveniente da fermentação. Retrogosto quase doce, aroma que lembra maçã verde. Para os jurados, faltou amargor e sabor de malte. Espuma com alta formatação, mas baixa retenção.

 

• Stella Artois (R$ 4,38/ 350ml) – Cerveja de amargor agradável e bem balanceada. Alguns jurados identificaram aroma desagradável, porém volátil. Sabor leve, para ser consumida bem gelada.

 

• Spaten (R$ 4,65/ 355ml) – A campeã entre as cervejas avaliadas pelos jurados convidados por Paladar apresentou sensação agradável de biscoito. Uma bebida leve, fácil de beber, com boa estabilidade de espuma; amargor baixo, mas aparente. Uma cerveja mais fresca do que o esperado para um produto comercial. Equilibrada, com notas de cereais e levemente frutada. Ótima formatação e retenção.

 

• Skol (R$ 3,23/ 350ml) – Os jurados avaliaram a cerveja como bastante oxidada no paladar. Falta frescor, cor deixa a desejar. Baixa sensação de amargor aparente. Apesar de bastante translúcida e clara, uma bebida suave demais, vazia.

 

Para mais notícias acesse HojePR.com

(Foto: Meritt Thomas/ Unsplash)

(Estadão Conteúdo)

37 Comentários

  • Fazer um ranking de cervejas usualmente encontradas em supermercados é uma tarefa e tanto. Nós que apreciamos cerveja há décadas e, portanto, podemos ser seletivos até certo ponto sabemos serem muitas as variáveis em um país continental como o nosso. Em minha terra, Natal, por exemplo, a Heineken tem alta aceitação por amantes da bebida. Por outro lado, há muita gente que faz suas opções por preço em detrimento da qualidade. E há uma maioria que diz não gostar de cervejas com IBU alto. Ou seja, provavelmente correm dos altos teores de lúpulo. Um outro ponto relevante, ao meu ver, é ter a Spaten chegado por aqui muito boa, com amargor típico das boas cervejas, para depois tornar-se aguada, não manter o colarinho por tempo algum e, de longe, lembrar que uma boa loirinha gelada contém lúpulo. Para complicar a situação, são muitos os bares que não armazenam adequadamente suas cervejas. De qualquer forma, viajando por aí, vejo que a Heineken segue sendo a preferida dentre as populares. Com mérito.

  • Bebo cerveja há muito tempo. Posso não ser um especialista, mas sou um degustador de cerveja experiente. Não consigo entender como ficaram de fora desse ranking duas das melhores cervejas brasileiras: Heineken e Becks. Vai entender…

  • Todas estas são ótimas! Eu bebo todas se for com teor alcolico!!! Sem álcool presta não.
    E se for 0800 melhor ainda!!!

  • O que importa é a adaptação do seu organismo com a cerveja. Para mim puro malte ou não, primeiro é a Original e segundo a Skol rótulo preto.

  • Das cervejas mais fáceis de se achar não troco a Eisenbahn por nenhuma outra, pouco importa que os someliers avaliaram.

  • Spaten tudo bem ,Stella,bahemia, Heineken,império ok todas puro malte. Já a cerveja Original ,Itaipava ,Brahma estás nem deveriam estarem na lista pq não são puro malte.

  • Precisam avaliar a cerveja WILLI que tem em Campina Grande PB. É de excelente qualidade e preço acessível. Foi a primeira da região da Paraiba.

  • Estranho a ausência no estudo da BECK’S…excelente…mas concordo com as três indicadas…

  • Propaganda paga . Melhor cerveja Heineken, disparado

  • Não sendo da Ambev, gelada tomo todas

  • Verificando a opinião de todos os participantes ,e concordando com todos gostaria de deixar meus parabéns a este teste.p
    Porém deixando uma pequena observação quanto a cerveja campeã, que no meu gosto tem um gosto acentuado de fermento.

  • A cerveja Império quando tomo fico com aftas.

  • Vocês precisam degustar a puro malte Capunga. Uma cerveja de Pernambuco. Em matéria de equilíbrio entre ingredientes, esta é a melhor.

  • A Heineken é disparada a melhor, avaliar a original como puro malte? É brincadeira, isso foi propaganda paga.

  • A melhor é a que o seu dinheiro consiga. Comprar. O resto….e gelar bem, e juntar a vontade de beber e a sede!!

  • A melhor cerveja do Brasil não está no ranking OPA German Lager de Joinville a cervejaria tem outros rótulos excelentes como a OPA brasileirinha

  • Os especialistas são sommeliers conceituados no mercado? Quantas mulheres participaram? São latas, garrafas (600ml ou litrão), long neck? Tudo influência consideravelmente. Na próxima podem me chamar. Abraço

  • Pra mim cerveja gelada e o que importa não me preocupo com especialista que estuda anos e não sabem e nada de cerveja estando gelada a gente toma sem frescura

  • O teste foi feito as cegas? Isso não está claro. Me parece mais um teste pago. Outra coisa, várias dessas cervejas não são e nunca foram ouro malte. Outra coisa. Todos os testes que vi até hoje, inclusive programas dedicados a cerveja, são feitos com a cerveja em uma temperatura entre 5 e 7 graus, que dizem ser a temperatura ideal para degustação de qualquer cerveja. Cerveja em temperatura ambiente? Nunca ouvi dizer. Não dá pra confiar em uma coisa mal feira dessas.

  • E que vcs ainda não provaram a OPA BIER, produzida aqui em Joinville/SC

  • Fiquei surpreso, pensei que a Heineken seria a primeira do grupo das melhores.Mas quem sou eu, pra duvidar dos especialistas, mas porra nenhuma, EU sou o consumidor. Nós damos as cartas. Que se danem. Kkkkkkk

  • Creio que Heineken deveria estar entre às três primeiras más não vou ponderar com os especialistas.
    Stella artois e original, não sejam puro malte

  • A reportagem diz “puro malte” mas tem várias da Ambev que não são puras e foram avaliadas, não entendi…

  • Então eu colocaria a Petra entre às 5 primeira eu acho muito boa 😃😃.
    Sem descordar dos especialistas….

  • Cada um tem a sua degustação, mas depois de tomar a terceira pra mim tanto faz.

  • Matéria paga, Heineken e a mais consumida

  • Heisenberg a melhor

  • Culpa dos evangélicos que estamos em 3⁰ lugar no ranking mundial… era para estarmos em 1⁰ lugar🤣🤣🤣🤣🤣

  • O problema de avaliar cerveja é que depois de tomar uma certa quantidade de ladrão de marcas e componentes diferentes fica difícil fazer uma classificação mais justa e próxima da realidade. Para mim a Amistel ficaria em primeiro, depois a Spaten e por terceira a Petra.

    • Ao tomar tantas doses de cerveja se torna impossível diferenciar todas. E classificar. Pois contém álcool. Mas pra quem bebe e ja experimentou várias. Sabe qual lhe agrada mais. Pra mim Amstel número 1.

  • Skol ainda boa.

    • Porcaria de cerveja… Skol nunca prestou.

  • Que maravilha ,pelo menos eu ja venha sabreando alguns tempos uma das melhores a Império é muito bom sempre ser divulgada quais são as melhores.

  • Os especialistas julgaram a cerveja Original como puro malte??????????

  • Pelo rótulo a cerveja Original tem ingredientes não maltados. Então não seria uma cerveja Puro Malte.

  • A melhor das melhores, é aquela que você ao beber sinta que é agradavel, dispensa rótulos dos “conecet’

  • Concordo! No mercado de cervejas em geral, são essas mesmo e nessa ordem. Acho que talvez a Heineken poderia estar entre as três, mas isso é um tanto pessoal e não vou descordar de especialistas.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *