HojePR

LOGO-HEADER-slogan-675-X-65

22/02/2024



Sem Categoria

E-mail com declarações racistas é enviado a Renato Freitas. Toaldo nega envio

 E-mail com declarações racistas é enviado a Renato Freitas. Toaldo nega envio

Um dia antes da votação da cassação do vereador curitibano Renato Freitas (PT) surge um e-mail vindo supostamente do gabinete do vereador Sidnei Toaldo (Patriota), com ofensas raciais e ameaças ao petista. Com conteúdo agressivo e xingamentos, inclusive contra outros vereadores e também aos petistas Roberto Requião e  Lula, o documento pode criar um novo fato na sessão que pede a cassação de Renato Freitas por falta de decoro parlamentar.

 

O suposto e-mail teria sido enviado através da conta oficial do vereador Sidnei Toaldo junto à Câmara. Ele foi enviado nesta segunda-feira (9) e contém mensagem com ofensas a Renato Freitas (PT). Toaldo é relator do Processo Ético Disciplinar (PED) do qual o petista é alvo.

 

Na mensagem supostamente assinada por Toaldo, afirma-se que o “advogadozinho de porta de cadeia” de Freitas não conseguirá “evitar o inevitável”, que seria a cassação do petista. O texto ainda diz que a Câmara de Vereadores não é lugar para Freitas e o manda voltar para a senzala. “Eu não tenho medo de você ou dos esquerdistas vagabundos que te defendem, seu negro”, lê-se, em trecho.

 

“A câmara de vereadores de Curitiba não é seu lugar, Renato. Volta para a senzala. E depois de você vamos dar um jeito de cassar a Carol Dartora e o Herivelto”, continua o texto da mensagem, referindo-se aos outros dois vereadores negros da Casa.

 

O e-mail é finalizado com as frases: “vamos branquear Curitiba e a região Sul, queira você ou não. Seu negrinho.”

 

Com o assunto “Mensagem para o vereador Renato”, o texto ainda ofende outra vereadora da Câmara, sem citar nome, chamando-a de “vagabunda”, que teria vazado áudios em que o vereador Márcio Barros expõe articulação no Conselho de Ética para cassar o mandato de Freitas.

 

As ofensas se estendem, ainda, ao ex-presidente Lula e ao ex-governador do Paraná, Roberto Requião, que estariam entre os defensores de Freitas. “Eu não tenho medo do Requião, ou melhor, do Requiladrão, aquele safado que devia estar preso junto com o cachaceiro analfabeto do Lula”, diz trecho do texto enviado pela conta do relator.

 

A assessoria do vereador Sidnei Toaldo informou que o e-mail não foi enviado “de dentro da Câmara e não saiu da caixa de mensagem do vereador.”

 

Disse ainda que o vereador irá entrar com denúncia por crime cibernético para levantar o IP (endereço que identifica uma rede ou um dispositivo na internet) do qual saiu a mensagem.

 

Nota da Câmara Municipal de Curitiba

Nesta terça-feira (10), durante a sessão plenária, e dirigindo-se a todos os vereadores e à sociedade, o presidente da Câmara Municipal de Curitiba (CMC), Tico Kuzma (Pros), classificou como “inaceitável” e “criminoso” o uso indevido do e-mail institucional do Legislativo para ataques racistas aos vereadores da capital do Paraná. “Deixo a minha solidariedade ao vereador Renato, ao vereador Herivelto e à vereadora Carol Dartora pelo conteúdo do e-mail. Esta Casa fará de tudo para apurar os fatos e já estamos tomando providências”, garantiu Kuzma.

 

O presidente da CMC informou ter recebido manifestação do vereador Renato Freitas denunciando o recebimento do e-mail e outra, de Sidnei Toaldo, negando com veemência a autoria da mensagem e prometendo lavrar Boletim de Ocorrência do ocorrido. “A CMC disponibilizará todas as informações necessárias às autoridades para a apuração do ocorrido, com o fim de proteger a segurança de dados de todos os usuários dessa Casa”, asseverou Tico Kuzma.

 

Confira a íntegra da manifestação do presidente da CMC:

 

“A Câmara Municipal de Curitiba, em virtude do comunicado recebido pelo Gabinete da Presidência, formalizado pelo Vereador Renato Freitas, onde consta que o mesmo recebeu e-mail, supostamente enviado pelo Vereador Sidnei Toaldo, com palavras injuriosas e desabonatórias, vem, preliminarmente manifestar a indignação quanto ao teor do manifesto. Cumpre esclarecer que o Vereador Sidnei Toaldo, também em manifesto dirigido à Presidência, nega com veemência a autoria e o envio do referido e-mail e esclarece que esta formalizando Boletim de Ocorrência para apuração do ocorrido e penalização dos autores. Finalmente, destaco que bem serão disponibilizadas todas as informações necessárias as autoridades para apuração do ocorrido e com o fim de proteger a segurança de dados de todos os usuários desta Casa”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *